SMTT dá prazo de 48h para restabelecimento da circulação de ônibus


SMTT dá prazo de 48h para restabelecimento da circulação de ônibus

Cidade em 6 jun, 2022 18:52 Compartilhar imagem07-06-2022-01-06-15Viação Progresso, Viação Paraíso e a Transporte Tropical foram notificadas pela SMTT (Foto: arquivo/SMTT)

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) de Aracaju informou que notificou as empresas Viação Progresso, Viação Paraíso e a Transporte Tropical nesta segunda-feira, 6, e firmou um prazo de 48h para o restabelecimento da circulação de toda a frota, sob pena de aplicação das sanções e medidas administrativas cabíveis.

A SMTT disse que desde a última quinta-feira, 2, primeiro dia de paralisação das atividades dos funcionários das três empresas em reivindicação a questões trabalhistas, está em contato com as demais empresas de ônibus que compõem o sistema de transporte público da região metropolitana e veículos extras foram colocados nas linhas com maior demanda para reduzir os impactos na prestação do serviço.

O superintendente da SMTT, Renato Telles, lamenta a situação e conta que o órgão está cobrando uma solução para o impasse. “Desde o início da paralisação estamos cobrando uma solução das empresas. A paralisação é por questões trabalhistas, mas o transporte público é serviço essencial e precisamos da operação total do sistema, assegurando a locomoção da população. Por isso, hoje, as empresas foram notificadas e receberam um prazo para que toda a frota volte a circular. Precisamos da manutenção do serviço”, afirma.

Os rodoviários do Grupo Progresso paralisaram as atividades no último dia 2, para reivindicar o pagamento de direitos trabalhistas, como salários e benefícios. Com a paralisação, 126 ônibus e 38 linhas foram afetadas.

O Ministério Público do Trabalho em Sergipe (MPT-SE) ajuizou, na manhã desta segunda-feira, 6, uma ação civil pública em face da Viação Progresso, Transporte Tropical, Auto Viação Paraíso e das SMTT’s de Aracaju, Barra dos Coqueiros e Nossa Senhora do Socorro requerendo a intervenção judicial nas empresas que integram o grupo econômico Progresso por, pelo menos, 12 meses.

Na ocasião, o Grupo Progresso (Progresso, Viação Paraíso e Transporte Tropical) disse que tem negociado com seus colaboradores diariamente desde o início dessa crise e que, nesse momento, um grupo de apenas 15 colaboradores continua bloqueando a saída dos ônibus da garagem. O caso, conforme o Grupo Progresso, já foi levado à Justiça para fins de liberação da circulação da frota e normalização da operação da empresa.

Com informações da SMTT

 

 

 

Compartilhar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *